• 75 3023.9999

Blog da Niro

Restauração Dentária: Saiba mais e fique tranquilo no tratamento.

Restauração Dentária: Saiba mais e fique tranquilo no tratamento.

Sabe aquela dor de dente que já está incomodando há alguns dias? É possível que esse incômodo seja resultado de uma cárie. Mas a boa notícia é que o problema é resolvido rapidamente, basta o paciente ir ao consultório odontológico e realizar uma obturação de dente.

Só de ouvir esse termo muita gente fica assustada, pois acha que é um procedimento dolorido e complicado. No entanto, não há com o que se preocupar. Com os avanços das técnicas e dos materiais odontológicos, esse tratamento — também chamado de restauração dentária — é rápido e indolor.

Quer entender melhor para que serve, como é feita a obturação dentária e quais são os principais materiais utilizados? Continue a leitura deste post que daremos mais detalhes sobre o assunto!

Para que serve a obturação de dente?

A obturação vai retirar o tecido cariado, limpar essa cavidade e preencher o espaço com um composto resistente, devolvendo a estética e a função do dente. Além de cáries, esse tratamento também é feito para dentes quebrados, trincados ou desgastados — por conta de bruxismo ou pelo hábito de roer unhas, por exemplo.

No caso da cárie, que é uma infecção causada por bactérias, a recomendação é que a obturação seja feita o quanto antes para evitar que ela tome proporções maiores e atinja a raiz do dente, sendo necessário um tratamento de canal radicular.

Em casos mais graves, essa infecção pode atingir até mesmo as estruturas de sustentação do dente ou a polpa, levando à perda dentária.

Qual é a diferença entre a obturação e a restauração dentária?

A obturação e a restauração são procedimentos que visam o mesmo fim: recuperar dentes que sofreram algum tipo de dano, restabelecendo suas funções. No entanto, há diferenças entre os dois procedimentos. Vamos entender quais são elas?

Obturação de dente

A obturação é um procedimento que não visa à parte estética do dente, mas sim restabelecer as funções mastigatórias do dente e garantir que ele não sofra maiores danos.

Quando um paciente faz um tratamento de canal nos molares, por exemplo, é preciso fechar o local que foi atingido pela cárie, depois de todas as outras etapas serem concluídas, claro. A obturação é necessária para tampar o “buraco” e ainda devolver as funções mastigatórios do dente, além de impedir que bactérias se instalem no local e causem maiores prejuízos à saúde bucaldo paciente.

Restauração dentária

A restauração dentária não é muito diferente da obturação, mas esse procedimento visa restabelecer não só as funções mastigatórias de um dente, mas também sua estética. O procedimento é realizado quando o dentista precisa reconstruir a estrutura da coroa dental — que é a parte externa do dente — e devolver sua forma natural.

Esse procedimento é de vital importância para a autoestima do paciente, pois a coroa é a parte que fica exposta no sorriso e, quando a pessoa apresenta alguma imperfeição, é comum que ela se sinta incomodada e até mesmo inibida de conviver com outras pessoas.

Além de ser indicada para casos em que o paciente precisa passar por tratamento de cáries, a restauração também é feita em casos de dentes quebrados ou trincados, que precisam ser reconstruídos.

As duas técnicas podem ser utilizadas juntas?

Claro! Quando um paciente passa por um tratamento de canal, por exemplo, é necessário que o dentista utilize as duas técnicas. Isso porque, depois de fazer uma obturação no canal, para fechar a cavidade, ainda será necessário fazer uma restauração para reconstruir a parte do dente que foi danificada e devolver suas funções estéticas.

Quando as duas técnicas são utilizadas ao mesmo tempo, os resultados são melhores e os pacientes ficam mais satisfeitos com seu sorriso.

Como saber se preciso fazer esse procedimento?

As cáries se manifestam de várias maneiras, como:

• Pequeno orifício no dente;
• Mancha mais escura no dente;
• Dor ao mastigar;
• Dor ao ingerir alimento quente ou frio.

Entretanto, a cárie pode se manifestar e não dar nenhum aviso, por isso é tão importante visitar o dentista pelo menos duas vezes ao ano. Ele fará uma avaliação dos seus dentes e, caso haja algum problema, recomendará o tratamento.

Com o acompanhamento odontológico regular, as cáries são detectadas ainda em estágio inicial, o que facilita o tratamento. Quando a deterioração ainda é superficial, o desgaste no dente para remover a parte estragada é mínimo e, em alguns casos, não há necessidade da aplicação da anestesia para realizar o procedimento.

Entenda como é feito o diagnóstico

Na consulta de avaliação, o dentista vai fazer um exame clínico nos dentes e na boca. Com o pequeno espelho, vai observar o aspecto de cada dente e a extensão da cárie. Com outros instrumentos pontiagudos, o profissional consegue averiguar se o paciente sente dor por causa da deterioração no dente.

Se necessário, ele pode fazer uma radiografia para saber a extensão da cárie ou se ela está entre os dentes.

Quais são as etapas desse tratamento?

Se você é daqueles que só de ouvir o termo obturação dentária já pensa no barulho do motorzinho e na dor, saiba que pode ficar tranquilo quanto a esse tratamento — a técnica evoluiu bastante, objetivando melhores resultados e o conforto do paciente.

Apesar de o processo de obturação de dente ser simples, o tratamento é feito em diversas etapas. Conheça, a seguir, todos os passos do procedimento.

Anestesia no local

Se você tem medo de sentir dor, saiba que não sentirá nada para fazer a obturação dentária. Isso porque o dentista aplica uma anestesia na região afetada, que fica adormecida durante todo o procedimento.

Remoção dos tecidos cariados

Após a anestesia, o dentista faz a remoção da área afetada pela cárie. Para isso, utiliza a broca (famoso motorzinho) e também um instrumento chamado cureta.

Limpeza da cavidade

Depois de remover o tecido cariado, é importante fazer uma limpeza profunda na cavidade para evitar que fique qualquer foco de infecção.

Reconstrução do dente

Com a cavidade preparada, o dentista começa a reconstruir o dente. Para isso, aplica várias camadas do material de preenchimento e vai esculpindo até que o dente fique com o aspecto natural.

Nesse processo, o profissional utiliza uma luz azul e materiais adesivos para garantir a melhor fixação do material.

Ajustes de altura

Para que o dente obturado não venha a incomodar a fala ou a mastigação, é preciso que esteja na altura correta. Dessa maneira, o dentista checa como está a mordida e faz os ajustes necessários.

Lavagem e polimento

Por fim, para que o dente restaurado fique mais liso e brilhante, é feita a lavagem e o polimento.

Quais são os materiais mais utilizados para fazer a obturação?

Como dissemos, a obturação tem o objetivo de recuperar a forma e a função de um dente natural. Desse modo, é preciso que o material de preenchimento seja resistente para que o paciente possa se alimentar e falar normalmente.

Para fazer a restauração, o dentista pode utilizar alguns materiais de preenchimento, como:

Resina composta: é o material mais utilizado para fazer obturações. Apresenta boa resistência e várias tonalidades, permitindo uma maior aproximação da cor do dente natural. No entanto, o material sofre alteração em sua coloração ao longo dos anos, dependendo dos hábitos alimentares do paciente e de sua higiene bucal;

Porcelana: composto cerâmico de alta resistência, que apresenta um resultado estético superior ao da resina, pois tem mesmo brilho e cor do dente natural. É uma restauração confeccionada em laboratório e bastante indicada para dentes anteriores (da frente) ou obturações que aparecem na fala ou ao sorrir. A grande vantagem da porcelana é que o material não tem sua coloração alterada;

Amálgama: bastante utilizada no passado, é uma restauração bem resistente. É indicada para dentes mais ao fundo, pois tem a cor cinza e se destaca no dente. É feita de uma mistura de mercúrio, prata, cobre, estanho e, por vezes, zinco. Por conta do mercúrio, pode trazer riscos à saúde;

Ouro: também em desuso atualmente, o ouro apresenta alta durabilidade. Entretanto, não tem um bom resultado estético, pois deixa o preenchimento do dente com a cor dourada;

Ionômetros de vidro: esse material tem uma durabilidade baixa — menos de 5 anos — e é uma mistura de vidro e acrílico. Por isso, é uma boa opção para restauração em crianças que ainda têm os dentes de leite.

Quais são os cuidados após a obturação?

Você pode voltar às atividades normais depois de fazer a restauração dentária. Por conta da aplicação da anestesia, é normal ficar algumas horas após o procedimento com a boca dormente e formigando, o que dificulta um pouco a alimentação.

Logo depois da realização do procedimento, é recomendável mastigar com mais cuidado e evitar alimentos muito duros ou grudentos, como chicletes, torresmo e balas.

E, para manter a saúde bucal em dia, não descuide da escovação após as refeições e antes de dormir, lembrando-se sempre de utilizar o fio dental. Não se esqueça também de deixar agendada a próxima consulta com o seu dentista.

Viu só como o tratamento de obturação de dente é bem simples e sem grandes desconfortos? Se esse procedimento é o indicado para o seu caso, faça o quanto antes. Assim, você garante um sorriso bonito e dentes saudáveis.

 

 

 

 

 

Fonte: Vital Implantes

Veja Também